terça-feira, fevereiro 09, 2016

VIVA O METALPUNK!



Entre amigos e parças o tempo.

A vida viola viaja, vida que viu e viveu a cena metalpunk do interior paulista, que é cabulosa, monstra, cabeça e coração escrevendo as histórias do subterrâneo. 

Tantas bandas fodas, quanta folia!

Metal.

Punk.

Duas energias cósmicas do cão, o furacão rasga sua apatia, e de pesadelos o vigor brutal reverbera, folia, pogo, bangers, peso onírico e alucinações tão agradáveis, sangue escorrendo a cada centímetro de entrega, dedos em fúria, refrão, riff, chapação e celebração entre amigos.

Metal.

Punk.

Viva o metalpunk !


sexta-feira, janeiro 22, 2016

novo disco do Garrafa Vazia ! Segundo split com o Hippies not Dead !


Saindo do forno mais um lançamento da Pé de Macaco Discos, o primeiro de muitos nesse ano de 2016. A bola da vez é o...
Publicado por Pé de Macaco S/A em Sexta, 22 de janeiro de 2016

sexta-feira, janeiro 08, 2016

descarte ou marte

Sou madrugador.

Viver no dilema moral: vagabundo ou não-vagabundo? Baboseira.

Vivo para curtir,  vivo para criar.

Ouvir muita música, irmãos e irmãs.

Ouço o falsário silêncio.

Viajar, com deslocamento totalmente concreto ou abstrato.

Viajar é prazeroso.

Viver um copo de água maluca. Lento e louco, eu bebo água devagar, hoje.

Olhos entraram em chapado portal. Converso entre asneiras.

Somos linguagem. Asneiras são primas, provocar, desmontar os xaroços , tiram  onda com as convenções. Convencional, cadáver muito sério, não é uma boa sugestão.


Garrincha soltou passarinhos das gaiolas.

Garranchos atravessam belos recreios e, sua alegre feitura,  caleu


Você esqueceu o recheio mental na frase de um amigo.

Paçoca brinca com a patota. Matou dois policiais.


segunda-feira, dezembro 28, 2015

Hoje você atravessou a rua curtiu uma pergunta, uma interrogação dançando lambada:

O universo da ficção?

A linguagem - a brincadeira total - o devir-maionese.

Narrativas, tipos e brenfas.

Fonética?

Folia em parágrafos.

Poesia que derrete o coração, olha o fogo no boné do guarda.


sábado, dezembro 12, 2015

RIO CLARO


Rio Claro é meio que uma cidade fantasma mesmo. 

Em algumas partes, como o Centro, por exemplo, vixi, então aí o bicho pega: famílias inteiras fantasmagóricas preenchem o vazio das noites.

Vazio
Vazio
Vazio

Nada
Nada
Nada

Cidade de merda: as opções pra população em termos de arte e cultura são zero, se depender da prefeitura.

Não há uma boa peça pra ver. 

Eles preferem chamar esses manés que importam esse stand up de bosta, construído via virtuosismo sinapse de ervilha.

E O CINEMA?

Segurar o riso é difícil.

O Shopping Rio Claro tem um cinema com várias salas!

Uau.

Filmes dublados, tudo dublado, ou alguma produção Globo Filmes com algum trouxa de quinta categoria alienando a família brasileira.

Aqui falta gana.

As pessoas existem. Se encontram. Há alguma movimentação subterrânea.

Mas em si a cidade tem medo.

Você não encontra viva alma, movimento. 

Se durante a noite o contribuinte resolve cruzar o centrão e tromba alguma pessoa na Praça Central, vixi: a maioria se borra nas calças com medo de esquartejamento: cidade preconceituosa é apelido, chefia!

Eles gostam de chamar os outros de bandido, mas preferem desconhecer sua história singular, abrir as janelas, seu esporte é ignorar como belos coxinhas a condição de que uma cidade é formada por cidadãos que devem se olhar face a face, e ter a manha de conviver de maneira madura com suas diferenças.

E na Rua 1?

Vamos lá.

Agora na Rua 1 tá rolando uma pistinha de skate firmeza. 

Também, séculos dessa luta, não é mesmo? 

Fora o descaso das "autoridades" com o skate, a "antiga pista destruída", enfim, um tópico que não vale a pena comentar, tamanha dor de cabeça que gerou na alma do pessoal gente fina da terrinha.

Rio Claro, Rio Claro. 

Fantasmas e medo pairando nervosamente, ocultos na Rua 6 com a avenida 3.


sábado, dezembro 05, 2015

VEM AÍ MAIONESE, O NOVO DISCO DO GARRAFA VAZIA

No final de novembro gravamos 7 músicas novas.

Elas integram "MAIONESE", nosso mais novo disco.

Sabe aquele punk rock com refrão durex, balanço, e letras descontraídas pra você?

Então. Tosqueira total.

A mixagem será por conta do mestre Rodolfo Nei (Back to Bacana/Corotinho) e a master pelo Rafael Simões (idem), grandes amigos lá da Pé de Macaco S/A!

Veja na foto o lindo Porão que tem proporcionado inúmeros registros do underground do interiozão de sp.

Estamos curtindo.