Pular para o conteúdo principal

Postagens

POSIÇÃO FETAL

Figura sombria, chefia.

Sempre salivando paca, espumona branca pelas beiradas, entre o ressecado beição e o lábio escangalhado..mas ouça, primo - são gemidos moribundos ao fundo do próprio cerebelo.


Sem dúvida, Jôfélis merecia ser varrido do trecho.


Sua persona esguia foi massacrada, é, quando descobriram o suposto dejeto depositado no criado mudo do Silvinho, quem não se lembra?

Silvinho era barbeiro. Dividia o apê com o amigo. 
Engolia os sapos, dava um boi, "ele dá trabalho, mas se não for ficar aqui, vai se foder, e não quero ficar com culpa".
Mas não teve jeito. Abriu a gaveta e do lado do potinho redondo de gel azul, o cocô fresco. O cheirão invandiu a napa, ânsia de vômito conduziu calafrio, logo o quarto inteiro ganhou aqueles ares de tiriça avançada, o aroma de cocôzão deu aquela cambalhota pelo recinto. 
Enquanto isso, o réu babava: Jôfelis ouvia gemidos moribundos ao fundo do próprio cerebelo. 
Estava agora em posição fetal, na cozinha. Sabia que com o ocorrido pancada n…
Postagens recentes

DESESCRITURAS DESÓBVIAS SEM DESFECHO

Preciso escrever.
E o que é precisar?
É mais vital que a respiração.
Precisar vai além da urgência.
Escrever é ato de sobrevivência.
É como ouvir RAMONES.
É mais que extirpar demônios, trazer pra fora os solavancos da existência.
Escrever é viver.
Poder mover devaneios, dizer que Bodeguito James está de camiseta básica da Hering, branca.
E a camiseta não foi batizada de espaguete. Não, ainda não. Ele traja calça jeans básica também, o tênis é all star preto, cano longo.
O cadarço?
Bem, é branco.
Vaga pelas ruas de Hell Claro, especialmente do centro da cidade.
Confere a decadência financeira do trecho.
Tristonhas placas de aluga-se, tão tristonhas, bebendo seu rivotrilzinho, enxugando o chororô.
Tá todo mundo peidando na praia da pindaíba, carteira is dead.

Crianças de cinco aninhos são inseridas no crack.
A contingência dos mendigos em expansão grindcore, agora temos até os neomendigos, uma mistura fina de oportunismo hipster com marketing de comportamento pra adquirir maior amor próprio, truques e …

O TRISTE FIM DE JUDITE

Judite chegou exausta do trampo.
Fechou a porta do apê, soltou uma bufa.
Olhou o face.
Nada de notificações.
Na geladeira, um restinho de Chamyto.
Seis e quinze, Judite pulou, pimba:
Pulou da janela do prédio de carçola com freio de bicicreta e tudo, dois palito presunto, caiu de pança no toldão yellow do Jujuba Automóveis Semi Novos.


EU GOSTO DE ROCK, FÍ

eu gosto de rock. 
eu gosto de bagunça.
eu gosto de rock.
gosto de loucura
distorção.
barulho
3 notas, fí
bateria que deixa você surdo.
eu gosto de sangue no zói.
eu gosto de doiderage
locurage na pista
precisamos viver
com barulho,
barulho:
bo diddley
stones
dead boys
stooges
new york dolls
mc5
ramones
germs
cramps
sonics
venom
slayer
gories
dead kennedys
misfits
black flag
motorhead.
eu gosto de rock, não de firula
eu gosto de postura incendiária,
postura autêntica
nada de frescura
gosto é de
banda de verdade
que mantenha acesa a chama
que tenha
apego, 
amor pelo som
eu gosto de rock
ae sim, tá falado
- então tá bão.

OUVINDO HARDCORE E LENDO ESCRITORES BRASILEIROS E DO TIO SAM

As pessoas estão sem coragem. 

As pessoas brincam verbalmente nas redes sociais perpetuando o lado cômodo da vida. 

Já é uma bela bosta o catálogo de estados anímicos, tão genéricos, na roleta duma láife cheia de espetáculo de quinta categoria, consumos infantilóides de recheio vaziozão.
Então, só o lado xou. Só o lado mentiroso?
Tanto faz. É fácil bancar o niilista, masturbar a linguagem cifrar a linguagem com uma lógica ou processos bocejantes. Tanto faz.
Solteiro e verdadeiro, caminho pelas ruas noturnas da velha Hell Claro. A vida noturna da cidade, aliás, é fortemente reduzida no quesito "movimento". Existem bolhas onde antigamente existia Kenoma, eta nostalgia necessário essa, era buxixo firmeza no centrão rodeado de bares esfuziantes, com uma galera massa fazendo seus devaneios estralar pela madruga da cidade em chamas. Hoje, uma cidade com vida noturna sim, mas uma cidade morta , cidade fantasma - onde existia bagunça agora existe estacionamento, oligarquias da caretice p…

APROVEITAÇÃO MIL GRAU?

Não me importo de esperar.  Mas esperar o quê? Nada.  É tudo linguagem. Somos linguagem, somos erupção, assonâncias estrábicas confundindo a madrugada, somos não-reféns da vida, quero diversão sem limites e camaradagem tumém! Não me importo de esperar. Na verdade, não espero nada de ninguém. Niilismo? Textão? Claro que não. Carpe diem with sambarilóvi times. O céu está aí ó aí, de bermudão, todo estralante. Liberdade requer esforço? Tanto faz. Avante! Vamos viver violentamente o lirismo dos dias. Contra a impaciência, a vingança da prontidão. Respiração e enfrentamento frontal, sem refresco. É o famoso foda-se ligado, hardcore é o pogo, o frescor  2017,  não me importo com porra nenhuma, só quero viver e enfrentar todos os dias como o último, porra.
O negócio é manter a tranquilidade.

É, é isso mesmo, chefia.

Mantenha o ritmo da vida no sentido-sossego.

A pessoa fez bico? Foda-se, pobrema é dela.

Ficam aqui os ensinamentos ocultos de Paul Gasolina realmente em velado segredo.

É a famosa determinação de não deixar-se perturbar por pequenos gestos imbecis.

Desnecessário pensar que vai mudar o fulano, assoprou o poeta clichê e esqueceu de palitar os dentes do simplismo primitivão way of life mermo: que se foda, o negócio é manter a tranquilidade.