domingo, maio 24, 2009

ADOLFO


O pinguim vela pelo sono dos futuros filhos. São penosos, são quatro meses, a concentração que envelhece - até que eles vem a vida. Indefesos, bom, vamos voltar pro nascimento, ninguém é presa nesse universo. O primeiro gesto do pinguim é equilibrar com pés os filhos. Ontem, Susana se matou. Adolfo bicudara o ovo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eu espero acordes que não desistam de cocainar meu dia, mesmo quando já nasceu morto. Espero notas que não apliquem a tortura do t...