quarta-feira, agosto 19, 2009

Olavo escrevia poemas apaixonados para Carmencita. "Éramos Seis", "Bebê a bordo". Carmencita delirava...relia nua no bidê, relia plantando bananeira ao lado do microondas, avançava o desodorante Avanço do marido na vagina de bruço no tapete eunuco da sala e inalava com malícia a grafia de Olavo. Acontece que Olavo afivelou a mochilinha e foi jogar de lateral esquerdo no Grêmio. Grêmio Barueri. E o maridão, pff, pfff - o maridão é AXE agora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eu espero acordes que não desistam de cocainar meu dia, mesmo quando já nasceu morto. Espero notas que não apliquem a tortura do t...