sexta-feira, agosto 21, 2009

Tô doidão de uísque. Brincando com minha cadela, a Isabel. Fox Paulistinha é true punk rock 77 na alma. Pula pra dedéu. Até arma na manha um belo escarcéu. Estraga tudo: é a praguinha. Mais uma dose? Lógico.

E cadê o Casão? Logo mais o Zanzibar, que foi doar sangue, vem dar um pulo no Lemão's House. É fera. E o Marcola? E o Barquinhos? Mistério. O Barquinhos carrega o próprio cadáver. Você também, fera. É nóis. É nóis pra caralho.

Acordar bÊbado é sonhar de olho reluzente o melhor blues da paróquia. E neguinho enche, floreia um texto com titica em palavras bonitas. Eta povo buceta. O das letras de merda. É nóis, porra. Cadê o copo? Peraí, vou calibrar outra dose violenta de uísque brazuca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eu espero acordes que não desistam de cocainar meu dia, mesmo quando já nasceu morto. Espero notas que não apliquem a tortura do t...