quarta-feira, outubro 20, 2010

se a madruga corre comigo,

As mãos de mendorato definham o rap do eunuco
vingando a lua nervosa da Noruégua
Os dentes do portão de chumbo de fechadura tão nostálgicos
esperam impacientes pela velha viatura dos anãezinhos cósmicos de Iracemápolis!

Donde andará Carlinhos?
- seu pijama em forma de melancia
- sua puta, louca de alface descabelado
- seu baixo Eagle envenenado em LÁ bucetão

Se a madruga corre comigo, eu sou fera-nenêm
Estou disposto a negociar
Amanhã desprezo o sol, as queimaduras são de tinta risólis
as queimaduras não estão mais no meu sonho

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eu espero acordes que não desistam de cocainar meu dia, mesmo quando já nasceu morto. Espero notas que não apliquem a tortura do t...