domingo, dezembro 05, 2010

Ao pingar, a gota escava a pedra. Grande Lucrécio. Sabia tudo de bola. Certamente frequentava o Alvinho. Grande Parada Obrigatória, a rua 1 estende o vermelho, reluzente tapetão. O deguste antigo: o copo violentamente estraçalhado goela abaixo. O baque dionísiaco. Estilhaço do EU - me despeço do tempo, solto-me here now maionese, parte do todo let's go bolacha, avalanche de sensações fodóviskys, sucessivas e novas.

Agora, não. Demoro-me. Toda alma, teu olhar. Me perco, naufrago livre, poesia cosquin além crepúsculo. Minha vida, mero detalhe. Meu coração Ní sangra eterno.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eu espero acordes que não desistam de cocainar meu dia, mesmo quando já nasceu morto. Espero notas que não apliquem a tortura do t...