sexta-feira, dezembro 10, 2010

Corra, ansiedade. Te faço muda. Putchaca ilustre. Cimento mijado, velho enrosco. Te faço planta embuste. Ansiedade gritará.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eu espero acordes que não desistam de cocainar meu dia, mesmo quando já nasceu morto. Espero notas que não apliquem a tortura do t...