sábado, janeiro 08, 2011

"ACENDEU UM CHARUTO, E TRANQÜILAMENTE ESPEROU A HORA DO ALMOÇO"



Ressusrreição, o primeiro romance do Machadão, é puro sugar. Triângulinho e plá. Li e reli. Tá todo mundo lá: o doutor Félix, o Viana, a Lívia...e é divertido degustar o flerte numa valsa, frescurite rodeios e aquele cheirinho de esterco francês no cabelo dos convivas percorrendo o salão- ou a sala da aristocracia afrancesada-merda. Tá certo.



y sigo escuchando 2 Minutos!!!


PS: Falando em Félix, sente o drama da descrição de gestos/atos do peça, ou mesmo como o narrador passa um pano na fera:

"Félix entrava então nos seus trinta e seis anos, idade em que muitos já são pais de família, e alguns homens de estado. Aquele era apenas um rapaz vadio e desambicioso. "

"Não direi que fosse bonito, na significação mais ampla da palavra; mas tinha as feições corretas, a presença simpática, e reunia à graça natural a apurada elegância com que vestia. A cor do rosto era um tanto pálida, a pele lisa e fina(ui!). A fisionomia era plácida e indiferente, mal alumiada por um olhar de ordinário frio, e não poucas vezes morto."

"Nesse estado passou Félix o resto do dia. Longas lhe correram as horas, friamente longas como elas são, quando o coração padece ou espera. Enfim, caiu a tarde, apagou-se de todo o sol, as sombras da noite começaram a lutar com os derradeiros lampejos do crepúsculo, até que de todo dominaram o céu

A melancolia da hora insinuou-se no coração do médico, e a pouco e pouco lhe aquietou o desespero do dia."

Espreme sangue, o NP. Esprema sugar, a fase emo do Júaquim Maria.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eu espero acordes que não desistam de cocainar meu dia, mesmo quando já nasceu morto. Espero notas que não apliquem a tortura do t...