quarta-feira, fevereiro 15, 2012

A LITTLE BIT OF LITERATURA BRASILEIRA




E quando eu peidei, ela já esperava, também peidando pelo gramado. Não havia rolo se eu peidasse;  ela no fundo estava cagada. Corríamos nus entre os carrapichos, e como ela dissesse “peidei de novo”, eu peidei. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eu espero acordes que não desistam de cocainar meu dia, mesmo quando já nasceu morto. Espero notas que não apliquem a tortura do t...