sexta-feira, março 30, 2012

23:33. Piores momentos da noite de quinta




I.
Ver o Muller comentar São Paulo e Catanduvense pelo Sportv. Toda vez que o ex-jogador se manifestava era pra alfinetar o tricolor. O tom era de ressentimento, mágoa. Os comentários constrangedores. Muller falava sem pensar (que novidade) e logo se arrependia da cagada, montando frases de sentido medíocre, de analfabeto amplificado. Quando algum replay entrava em ação pra constatar a disparidade entre o jogo real e o jogo comentado, vixi, aí então o boleiro falido se lascava de vez - tentava corrigir a presepada todo trapalhão, e tão porco como um típico adolescente incapaz de remover quilos e quilos de acne da fuça.

II.
Entrar rapidamente no facebook e encontrar banalidades tão eloquentes. Deparar-se com o chiste dos coleguinhas sedentos por holofotes de polegares, os orgulhosos & infantilóides jóinhas brasileiros. Engraçadões embriagados de "o loco véi", "como x pensa que é, como x é na realidade", montagens imagem-texto reluzentes em senso comum, enfim, os exemplos são infinitos.

Não é que estou ficando velho e rancoroso não. Que ao invés disso eu não prefiro o Ananias (até que ele já me pareceu bem engraçado), Francisco Anysio coisa nenhuma. Também não procuro motivos hilariantes pra cair na gargalhada feito mongolóide em frente um monitor. Não. Prefiro o silêncio a esse mau humor assim tão intruso, ao esbarrar em coisas tão fúteis, pequenas,  inúteis. Overdose de coisas irrelevantes, ah que saudades que já tenho do Millôr Fernandes.



Um comentário:

Eu espero acordes que não desistam de cocainar meu dia, mesmo quando já nasceu morto. Espero notas que não apliquem a tortura do t...