terça-feira, novembro 27, 2012


Em silêncio, ela escutou Your Love, do The Outfield. Em bebaças letras de néon verde piscina a alma deslizante. Estávamos nos anos oitenta, e cabelos mágicos davam o tom nas garotas. Ela levou para o tapete do quintal a música. Ela levou todo aquele reverb mágico e seu topete casquinha de chocolate com laquê, enquanto Jerry era acariciado na barriga. Ele era o buldogue mais valente de toda Crazy Alley.  O restinho do encontro com Bliss James ecoaria durante a tranquila sessão de afagos, como se Jerry risse de barriga pra cima com seus óculos escuros 50’s rock and roll - e quando ela apertou pela última vez as bochechas do dog , nada de relevante aconteceu. Apenas acionara a antiga despedida, mas era como se reacendesse por dentro o restinho de loucas vogais, consoantes dançantes daquela memorável noite de sexta.

Nua, entrou no banheiro e saiu rosa, ela estava num pijama. Deitada de bruço, apagou a luz mas não as bebaças letras de néon verde piscina e a alma deslizante. O velho Jerry e a lua cheia lá fora, como eternos bancos de praças na madrugada dos sonhos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eu espero acordes que não desistam de cocainar meu dia, mesmo quando já nasceu morto. Espero notas que não apliquem a tortura do t...