domingo, dezembro 09, 2012

RIVERS AND RED CITY


Praça da Matriz, tarde de domingo. Uma senhora e um casal conversando sobre o cachorrinho da grisalha mulher, o trio e o dog bastante descontraídos. A Heart School na rua sete. O colégio nazista da rua cinco. Feira do Vinil no Centro Cultural, último dia. Camaradas e muitas ideias na permuta, mas pena que tenho que vazar. Afinal, logo mais vamos pro encerramento de mais um Fest Clip em Red City. 

Foi um grande prazer fazer parte do júri. E muito bacana conhecer uma pá de pessoas novas e poder assistir uma boa série de videoclipes dos mais variados (vinte e cinco no total). Foram dois dias, com duas boas bandas fechando as noites de sexta e sábado. (Alabama e Mr. Tambourine Man & Special Sauce). Meu grande agradecimento a todo o pessoal da excelente organização, que além do ótimo tratamento e excelente e exemplar condução do festival, nos instalou de modo perfeito para pernoite na full of life and simpatia city. E hoje o encerramento da terceira edição do festival, que trará também show com a banda Macaco Livre. Tudo isso no Revolution Pub, meu chapa.

Mas voltemos para o coração de Rivers. Eis o caminho de volta pra casa, pós Centro Cultural.

Um sujeito que reclama da porca instalação de um eletricista, num pequeno restaurante/lanchonete/boteco da rua cinco. Dou-lhe razão, o ventilador gira unilateralmente, para desespero do encalorado sujeito, já um pouco alcoolizado. A fala é mole, o olhar é devagar, mas a integridade é massa.  "E depois o eletricista diz que tá sem grana, o aperto...". Prossigo. Música de altíssimo nível com batidas mágicas para massagear os ouvidos. São os bonitos carros insufilmados desfilando pela Avenida Vil e Podre de Rio Craro. Meu nariz está entupido ou será que o cheiro de tampico com fezes frescas da avenida entrou de férias também? Prossigo. E lá está ele, mais adiante: o pobre garotinho, que calejado ou não, está lá, de pé. Traz pelo alto seus malabares no balé celeste da roça. O motorista a sua frente estica a mão pra fora do carro. Parece que temos um ganhador:  um sorvete de tangerina durante o sinal fechado. O domingo anuncia chuva em cinzentos blocos dentro do firmamento. Será? Foda-se. Agora nós vamos pra Red City!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eu espero acordes que não desistam de cocainar meu dia, mesmo quando já nasceu morto. Espero notas que não apliquem a tortura do t...