terça-feira, janeiro 08, 2013


Azuis, os leitos da rua 1. Fantasmas deitam-se, de olhos fechados. As mãos na barriga reclamam dor, sofrimento intenso. Madrugada no centro de Rivers. Pelo menos três desabrigados respiram mudos, um deles na avenida sete. Os outros dois descansam sem rosto, escondem-se da vida através dos leitos azuis.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

ROCK NA ROÇA

O que me empolga numa cidade ananias são as pessoas. A trutagem é o céu da roça, que resiste ao peso dos dias. Caminhar, caminhar n...