segunda-feira, janeiro 28, 2013

QUE MONSTRINHO!

Nasceu. Era menina. Hmmm - mas e o nome? Veio então o desejo de velar a posteridade no ritmo das novelas, do cinema. O pai deu um trago no Hollywood e arriscou, categórico:

- Jane Fonda, claro.

A mãe fez vista grossa. Suspirou cansadona e murmurava algo, impaciente, que irrompeu em paralelo às sobrancelhas arqueadas:

- Cássia Kiss...

De supetão chega na sala o Bifinho. Olha pros dois alternadamente, reluzindo seus elétricos dez anos de idade, e num hadouken dispara:

- KissiFonda...



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eu espero acordes que não desistam de cocainar meu dia, mesmo quando já nasceu morto. Espero notas que não apliquem a tortura do t...