quinta-feira, fevereiro 28, 2013


O interior. Legados de provincianismo chinfrim inundando a retina. O discurso manjado das famílias ricas, famílias pobres. Glamour de infatilóides no cio.

Cartazes mal feitos, cartazes mais preguiçosos. Mais preguiçosos só não mais que a própria burrice. O verbo é um a ação é outra. Normal.
Ah sim: cartazes bonitos também. "Olha, nem parece que eu moro nessa porra de país". 

E a estupidez musical em alto nível. As bandas cover de final mal sucedido de adolescência, uma ameaça ao bom senso. Os imitadores de quinta categoria jogando um charme, jogando dominó com os plagiadores de primeira. Aplaudir simuladores de guitarras e cantar o hino nacional; a turma dos espertos "representando" em duas categorias: a quinta série completa ou quinta série incompleta. E assim caminha o Lulu Santos do pandeiro cruzando a fronteira em seu death metal macarrão, olá, o cérebro, a escola, a hipocrisia é comovente, eu sei, Lulu, Lulu, rádio patrulha, rádio patrulha, permissão para palestrar, o interior é bonito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

pode apostar, Lindomar

confuso, vagabundo, folgado. louco por futebol e rock and roll, aquele flamejante, conhece? incendiário, de libertação. louco por liter...