quinta-feira, maio 16, 2013

CENAS APÓS A ELIMINAÇÃO DO CORINTHIANS NA LIBERTADORES 2013










TRANSFERINDO RESPONSABILIDADES OU FALANDO BOBAGENS?

"Não foi nós que perdemos, fizeram-nos perder". (sic)

Discurso do presidente corinthiano. 

E, não satisfeito, foi além: populista caricato, deixou um beijo no coração dos fiéis torcedores.

Que sujeito brega, covarde, diz o Antônio Gemada. 

E o Gema prossegue a crítica: "Perdeu, perdeu, meu filho. A vida continua, oras."

Voltemos ao discurso.

O dirigente mostrou-se patético em dose dupla.  

Porque o molho-extra do derrotismo ganharia reforço integral pelo tom da declaração na entrevista coletiva.

O presidente era uma menina-velha ressentida, segurando o choro sem muita credibilidade pra tal façanha. Fazia-o com voz trêmula, uma voz pink cheia de insegurança kid. Mas, convenhamos: também era uma voz coitada de mama derrubadona no sofá da sala ao saber das novas traiçoes do Agenor com as putas pescadoras do riacho Jason.



E O OUTRO LADO?

Enquanto isso, Riquelme ri na entrevista coletiva. 


Sorridente, o craque comemora internamente sem parar, meus amigos.

Vai respondendo tudo agora numa pose de folgado-Quico. Os jornalistas cumprem perguntas mágicas.

Aos poucos Riquelme arma um rosto sério. O semblante do carrasco arrisca uns dribles também.

Riquelme diz que ele e os companheiros fizeram o mesmo de sempre. O que sabem fazer.

A verdade é que esse time do Boca perde do sub-15 do Borussia Dortmund.



Mas já sagrou-se campeão. Não precisa disputar mais nada na Libertadores, nem cara ou coroa.

Tem o troféu incluso no peito já, por eliminar da competição o time que tem a torcida mais desagradável da América.


OUTRAS VISÕES

O comentarista Maurício Noriega, no Sportv, minutos atrás, enaltecia o discurso de algumas pessoas, no caso a postura dos jogadores eliminados.

Dizia ele que era bacana aquela atitude, de não creditar o adeus ao trabalho do juiz.

Trio de arbitragem que realmente apitou a partida com a competência do Cidade Negra tentando fazer música.



E o Tite?

Tite, técnico que respeito, disse que foi cínico.

Disse que exibiu seu lado negro, falso, ao final da partida. Depois do apito final, d
irigiu-se ao centro do gramado, convicto. Estendendo as mãos,  cumprimentou o trio de arbitragem com esta bela palavra, meus amigos: "parabéns". 


E disse também que o Tijuana foi desleal na partida de ontem, contra o Palmeiras. Sempre sobrava um braço, cotovelo, moqueta, bifa pra cima dos jogadores palmeirenses, também eliminados.

CONCLUSÃO



Enfim, o futebol brasileiro volta a trazer alguma migalha de mini-emoção. 


As redes sociais estão como pipocas de microondas em ritmo de liquidação nas Lojas Vinícius.

Sacanagens verbais são disparadas em tempo recorde. É o improviso maroto derrubando mais uma vez os torcedores derrotados.

São tripudiadas mil, gracejos plagiados com muita gorgonzola e desleixo intelectual.

E o mais ridículo é que o "poderoso" futebol paulista afundou bonito na Libertadores.


É.

Que se foda.

Prefiro ler A Hora dos Ruminantes.


Mas, pior que tudo isso, só o repórter da Fox Sports.

- O que faltou Ralph?

- Faltou fazer gol.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

pode apostar, Lindomar

confuso, vagabundo, folgado. louco por futebol e rock and roll, aquele flamejante, conhece? incendiário, de libertação. louco por liter...