terça-feira, junho 25, 2013

NA FESTA DO PEÃO DE SALTINHO

O Luquinha tava pegando geral na Festa do Peão de Saltinho. 

Bole-que-bole, abordava askenga e partia pro laço, na marra. Laçava  na força bruta, e dava umas pá de mordida, babada, fazia banheiro público na beiçola das moçoiola.

Até que a Catarina se irritou.

"Que escroto! Quem ele pensa que é?".

E o Luquinha lá no agito, pegando geral, deixando sérias marcas no pescoço das vaqueiras-piriguetes. Uísque rédi bull e energético supervisionando a moringa, e ele todo valentão, de calça branca e perna aberta, bota chique levantando poeira.

- Seu ridículo!

Quando Luquinha virou pra se divertir com a ofensa, sentiu um jorro de cerveja gelada estampar-lhe a cara. Sua cara ficou empapada. A nuca geladinha. Era cerveja ou mijo?

Ficou fudido.

Não encontrou a menina. Mas pôde vê-la fugindo, entre as barracas de espetinhos Leonard.

Não deu outra.

Duas horas depois, ele cruzou com ela no estacionamento. Pronto: o socão de direita que ela levou na fuça era uma tijolada. Catarina sem sentidos perdeu o pivô.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OUVINDO HARDCORE E LENDO ESCRITORES BRASILEIROS E DO TIO SAM

As pessoas estão sem coragem.  As pessoas brincam verbalmente nas redes sociais perpetuando o lado cômodo da vida.  Já é uma bela bos...