sexta-feira, julho 26, 2013

A FESTA DA AMIZADE, EPISÓDIO DE HOJE

Quando eu era pequeno, tomei nota de sua existência. Tratava-se do Mini Shopping de Rivers. O "Shopping Cisa". Ali, na Rua 2. 


Troquei umas fitas de Atari, na época.

Dizem que o Tim Maia ali esteve, certa vez. Quando cresci vi que não era shopping de verdade. Aquilo era outro negócio, por lá morava um bazar. E do lado, existiu um edifício arrojado, cuja cobertura abrigava uma escultura em L, abstrata, pura lantejoula verde. 

E numa noite fria, no décimo andar, Tim Maia discutiu com Pedro Dolphin a influência de Marvin Gaye em suas veias. Ninguém gravou a conversa.

Mas existem algumas lembranças encharcadas de uísque paraguaio.

É claro: o Tim estava nessa. Derrubava o álcool sem parar pelo sangue.  Para elevar a natural embriaguez de seus curtos dias, a embriaguez que como Cola Tenaz o apadrinhava. 

O caminho da criatividade não passa pela autodestruição do sujeito, isso é bullshit, disse o Pedro Dolphin. O velho Tim não respondeu. Tragou o careta, entediado.



Com esforço, o Pedro Dolphin recorda: "o Tim Maia andou circulando também pela Avenida 29, e o fez dentro duma Brazoca calibrada de boa vontade. A Brazoca fazia cócegas através dos rios, dos bravos rios de violento colesterol do Tim.Sua perna não formigava. Sua perna era gorda na batata. E macia."


















Ouço barulho de panela inox na pia da cozinha. A alma de Violeta bebe vinho, seu rosto é vermelho e o frio está dispensado agora. O frio certifica-se que em sua carteira de trabalho foi dado baixa, e sai fora. Saiu fora e entrou na coberta de lã do Zacarias. 

Outro copo, Violeta. Violeta viveu os 80. Anos de Tim Maia chafurdando na buzanfa. Anos de zica para os pais da mulher. Anos de rebeldia da Violeta. Mas não era inconformismo ideológico petista. Enfim, não posso julgar. É fácil julgar por julgar porque você não leva tijolada. Mas que faltou uma reflexão mais apurada ao invés do jogo sujo em alguns momentos, ah, isso faltou de sobra. Como falta decência à esse comando do São Paulo. O São Paulo está na merda e alguns jornalistas corinthianos se identificam. Dome seu orgulho, amigo. Bufando fortemente antes de apagar, será que Tim Maia expirou realmente feliz nas últimas quatro horas? Não sei se o espírito caído do Renato Aragão incumbiu-se de algumas palavras estilo Dorflex aos parentes mais chegados. Na melhor das hipóteses, é melhor você aumentar o som novamente, e assistir outro simpático episódio do Chaves.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

ROCK NA ROÇA

O que me empolga numa cidade ananias são as pessoas. A trutagem é o céu da roça, que resiste ao peso dos dias. Caminhar, caminhar n...