terça-feira, julho 02, 2013

O FUNILEIRO BETÃO

Betão, funileiro de responsa.

Mais de vinte e cinco anos de estrada. Três filhos no currículo. E um netinho.

Dois maços de cigarro fumados ao dia. E ao final do turno, meia dúzia de Brahmas em cima da mesa, devidamente enxugadas.

Betão é firmeza. Sai com a Iraci. Na condição de viúvo, tenta esquecer a Marta, morta por complicações renais.

Ele e a Iraci dão certo juntinhos. Pegam um cineminha vez ou outra. Comédia romântica sem sal ou filme de ação, tudo dublado, com baldes de pipoca. Iraci trabalha no mercado. Não é raro vê-la dando o ar da graça na funilaria, levando aquela maça geladinha pro seu velho bofe.


Betão acorda bem cedo. Umas cinco da matina e já está pegando o caminho da padoca, pra levar um tiro pelas costas e morrer sem cigarro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OUVINDO HARDCORE E LENDO ESCRITORES BRASILEIROS E DO TIO SAM

As pessoas estão sem coragem.  As pessoas brincam verbalmente nas redes sociais perpetuando o lado cômodo da vida.  Já é uma bela bos...