sábado, julho 06, 2013

POBRE SERAFIM

O Serafim andava numa maré de azar terrível.

Primeiro perdera o carro numa enchente. Depois, o pé: uma torção poderosa e acabou perdendo a entrevista de emprego. Aquela era uma excelente oportunidade de mudar de vida, e ele era o candidato mais cotado. Paciência.

O Serafim resolveu então descontar na manguaça toda sua frustração.

Noite de sábado, ele está em casa. Sem nada pra fazer. Afoga-se na Jurubeba. Liga a televisão. Há um jogão em andamento: Portuguesa e Cruzeiro, ao vivo, no Canindé. Com direito aos sempre precisos comentários do “craque Muller”. Para rebater a fome nascente, o Serafim sapeca um amendoim goela abaixo.


Seu pé ainda dói. Dói muito. Que raiva, Serafim. Haja Jurubeba. O jogo é chato, e o amendoim não está legal. E ainda por cima, quando já alcança o finzinho do pacote, Serafim morde o japonês com tanta fúria, com tanta FORÇA, que de repente ele escuta um "CLÉQUI". Calma, Serafim. É apenas um dente da frente que desabou em cima do sofá.

Vocalista da Banda Calypson, Joelma, Perde Dente da Frente em Jantar

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ROCK NA ROÇA

O que me empolga numa cidade ananias são as pessoas. A trutagem é o céu da roça, que resiste ao peso dos dias. Caminhar, caminhar n...