terça-feira, setembro 24, 2013

KxTxH – Hardcorefobia: Caos no Capão (resenha + download!)







Lá do Capão. Bela capa, desenhão agradável, gravado no pêlo, na pegada Chulapa na lata, bola dominada perto da pequena área.

A intro traz pra nóis um macumbão dos bão. Fumaça do mal preparando o crima!  São duas-riff-seqüência de deixar o capeta de zóio gordo revirado no sofá de zorba.

Depois entra em cena o cancioneiro cuspindo na cara da ordem vigente. Pô, o vocal expressa realismo sem tico-tico e todo descontentamento questiona na bicuda o mundo de merda que nós vivemos – este é o KxTxH, formando bases sólidas de sua ira por vezes debochada, mas sempre com aquela guitarra serrando o marasmo, é uma serra cujo motor baixo-batera cede alvará para o curto circuito mente adentro do orvinte.

E o trampo permanece tropé contínuo e instigante – até vovó Durvalex poga na maior, dispensando o Odair José da vitrolinha por alguns instantes.

No enredo musical contido em   “Garota do Bosque” sobram sátiras aos amantes do rpg e do power metal, arquétipos e tipos da rua são esculhambos sem cerimônias no trampo dos cabras, aliás. 

E assim o disco vai tupá tupá, cotovelos como bronca cortando o ar em rodas de pogo e fogo, tupá tupá, parlada atrás de parlada, eta gravação jóia!

É assim mesmo o registro: azeitonas hardcore agindo nas barbas do famoso Moisés, enlouquecido, matando uma barata invisível em sapatadas doidas no purgatório! Aquela velha história: dura realidade, hardcore sujão na alma guerreira: guitarrão médio-agudo do capiroto (ora cuns solinhos malucóides-firmeza), feroz baixolão mil volt e o batuque na brasa, sacumé? Tá em casa.

“Ladrocacia” e “O Planaltista” esquentam mais o processo: “eu tô com fome, quero comer/ me dá comida, senão eu vou morrer”, e assim o play vai comandando a  brisa: uma marretada na maior velô massageando tua cuca, meu chapa - confira.

Baixe o disco. Aperte o play: é hardcore dus bão, é o Caos no Capão, ouça o KxTxH!


ps: o finalzinho com eco de “Se mate hipócrita” é chapação das boa!


E aqui os dizeres dos cabras, contido no disco:

"Recadinho maroto pra garotada

KxTxH lança ai seu primeiro CD , gravado totalmente nos esquemas podreiristicos DIY , sem produtor mandão ou modista . Sem abraçar partidos & partidarios de ambos lados , musica feita para cabeças raxarem e pensarem ao mesmo tempo . Somos na zona sul de São Paulo onde atualmente a cena Punk / Hard Core anda com pouco espaço para se expressar graças a esta nova juventude acomodada que prefere classicos do "rock" a serem entoados como covers repetitivamente todos os amaldiçoados dias e panelinhas do underground que não se unem e separam as bandas .

Mesmo assim mantemos o orgulho e cara a tapa a meter um som próprio a quem não gostar e nos poucos buracos que arrumamos a tocar e neste singelo CD , que está uma merda , mas uma merda sincera , da favela para SP inteira : para a cena underground inteira , pois a musica não tem fronteiras !


Nenhum comentário:

Postar um comentário

ROCK NA ROÇA

O que me empolga numa cidade ananias são as pessoas. A trutagem é o céu da roça, que resiste ao peso dos dias. Caminhar, caminhar n...