domingo, outubro 27, 2013

eu acredito na vida

eu acredito na vida. é claro que a morte precisa de um sentido.

eu curto uns objetos falantes, também aqueles largados pelo louco asfalto dea cidade, como uma imensa rocha localizada na manhã de hoje por um amigo, uma rocha monstra e pesadona logo ali, perto da Avenida 29.

eu acredito na vida com o calor da amizade, justa, leal.

porra, e tá calor pra caralho. 

pafúncio tomou quinze chuveiradas na sequência, aidete cinquenta e oito e não serviu de nada, o calor ri, o calor é sacana.

duas noites atrás o tapete no céu parecia água suja, alternado em clarões cinza-rápido, repentinos cruzados nos olhos do sossego, mas eu não temo a chuva, se ela quiser tomar um café comigo vai ter que ser sem açúcar.

***

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OUVINDO HARDCORE E LENDO ESCRITORES BRASILEIROS E DO TIO SAM

As pessoas estão sem coragem.  As pessoas brincam verbalmente nas redes sociais perpetuando o lado cômodo da vida.  Já é uma bela bos...