quarta-feira, dezembro 18, 2013

17:51

sem jabá, sem tico-tico de papai-picareta, no pêlo, na raça, gana, fúria, amizade, irmandade, quilômetros rodados, amizade, raros ensaios, suor latente, som alto e cada vez mais alto, madrugadas com o violão sonhando sem palheta, três acordes faça ocê mermo, tocando na rua, na praça, no mato, gato de energia, sangue escorrendo pelos dedos, refrões cantados ao lado dos irmãos, troca de materiais, faixas cravadas na memória, riffs povoando o cerebelo chapadão em narcóticos noise, frases sem sentido, mata ralph e hbelo de cabelo marshmallow, os novos amigos, as caminhadas pela madrugada dos dias, o inconsciente latindo dentro do pudim invisível que é o pós niilismo rejeitado na sequência com estoicismo em 12X sem churros - cheio de folia incoerente na sarjeta, a risada, a camaradagem, a humirdade dos primão, intercâmbios pelas cidades mágicas da fraternidade punk, falando sobre velhos discos, tomando um litro de podreira, arte do bezerrão nóia, o traço tosco no lápis crust, velocidade no batuque, cadência no baixolão do sítio elétrico, granada é uma boa releitura demorada, olha lá, mais um bailão em véspera, microfonia é serenata dozdoido, pedal gan gan, pa's rachados, som queimado, coma árcólico dos parça, loucos dorminhocos ocupam capôs de carangos estacionados aleatórios, fumaça nas esquinas da trutagem, arranhar um som com o gbh, antiga estação ferroviária de rio craro equinócio novas gerações, velhas gerações, os amigos em abraços sinceros, viagens e o companheirismo dela, as leituras no busão, no quintal a janela sem frestas como se assoprasse a lua ninja de tão purona e belda no céu, toda cheia, canções a serem escritas no coração da américa toda fudida, o caos borbulhando explosões pelas veias, lutadores do asfalto em polichenelo na segundona braba, incessantes utopias com cachaça metafísica, risólis voador, conflito de egos, ratos de porão e o rock veloz dos amigos no rock da estação, hippies not dead, irmãos, hippies not dead, irmaõs, hippies not dead recomeçou o pulso dos garrafa , desde 1995 na ativa, o hippies, hippies not dead, na transparência rara e fudida aqui no interiorzão, e pra fechar o 2013 nostálgico o sprit ao lado deles, porra, que honra! - que eterna alegria - "toca uma pra mim", que crássico, e mais é mais. porque agora vai o som meu chapa, aperte o play.









Nenhum comentário:

Postar um comentário

OUVINDO HARDCORE E LENDO ESCRITORES BRASILEIROS E DO TIO SAM

As pessoas estão sem coragem.  As pessoas brincam verbalmente nas redes sociais perpetuando o lado cômodo da vida.  Já é uma bela bos...