quarta-feira, janeiro 29, 2014

DIISKORDIA AO VIVO !

Amarelo: baixo e backing vocal. Carol: guitarra e vocal. Tio Joey : bateria e vocal.

Luta, punk rock, anarquia - fraternidade, o espírito.

Épico registro, gravado ao vivo dia 17 de março de 2002 em Poços de Caldas, Minas Gerais.


Seis canções. Seis torpedos invadindo todos os lares, todas as noites solitárias agora serão quentes e reais - e ainda nós poderemos sentir o faça você mesmo refletir o peso dos anos.

Pelos falantes do estéreo a clássica nós ouviremos reverberar os ecos secretos de "Lembranças Revolucionárias" - para saciar os corações libertários, para rugir o inconformismo e a sinceridade pelas vias plurais da honestidade, afinal "Comece Consigo Mesmo". Do caralho.

sexta-feira, janeiro 10, 2014

e de repente tudo - novamente - espoca alegria, a euforia conduz a alma, a euforia é nosso sangue, nós vamos vivendo entre ruínas e violência gratuita, mas nós temos o amor e a música, nós temos a vida em orelhas de hortelã e bochechas de maça gelada, fresquinha e a partitura da rua não está sóbria, ontem mesmo eu assistia Brasil X França no México, meio dia, 1986, que jogo - e que sonzão firmeza vem aí, dia 19 de janeiro Garrafa Vazia e Olho Seco em Limeira, chefia! Só alegria.


sexta-feira, janeiro 03, 2014

EM 2014 QUERO ESCREVER O LIVRO QUE NUNCA ESCREVI

Torcer para o Japão na Copa. Ouvir 2 Minutos, o punk rock argentina alegra a alma, irrompe uma ventilação pela alma, agora mais cheia de juventude. Tostão toca para Pelé, México, 70. Sossego, mergulhos na piscina com os amigos, paz e alegria, memórias, saudades, histórias, três acordes, leituras, literatura-soco, filosofia-rua, Chico Anísio e seus cacoetes em riba, Chico Anísio soando ingênuo - zapeada no Viva, assistindo Street Fighter dubladão com os amigos, sofázão dando cobertura para a sonolenta madrugada, orvindo agora Tears for Fears sem legenda, e se preparando para algumas linhas de Kerouac antes do cochilão. Jéssica, Marcos, Hb e Tablitis, Canetinha, ano novo e o elevador fraterno da bonança guardando lembranças coração de ouro puro, Black Sabbath e o calor da convivência que dá gosto. Escrevo algo novo em meu velho caderno preto. Por lá deixei morrer um projeto de livro desinspirado. Comecei outro agora: comecei, a campainha tocou umas cinco e meia da tarde! Aopa, surge mais uma chance de ganhar um troco, subemprego também reluz folia, eu ouvia Ação Tóxica, é porrada na orelha, porrada violenta hardcore-navalha a orelha Tóxica em Porto Ferreira eu ouvia a gravação do ensaio-demo de 2006 - que em segundos deixa-lhe pedalando no gás uma Caloi 10 invisível pelo meio da noite de Marte - céu vermelho e tranquilão, bicicleta sem freio, impulso sonhador, e o tempo escorre lentão, chapadão de alegria nos nossos chumbados corações reconhecemos os pequenos gestos de humanidade ultrasambarilóvipunkblues, contente estou, com o sábadão da alegria-microfonia estarei ainda mais, 2014 é rock podre, peidão-otimismo pelos cotovelos e satisfação pra encarar a sarjeta, ruínas existem mas la fuerza es la fuerza, chegou a hora chefia, é maior a gaia que o cansaço dentro das meias dos acasos dos dias, os irmãos respiram livres, os irmãos estão aí lendo Camus, piscina e churrascão antes da garoa, apaixonado pela minha amada, voltando o rádião pelos anos 80, por tudo que irá acontecer e já aconteceu, sem crachá lá vamos nós, as mesmas e nuevas aventuras e roubadas, a ficção literária, um filmão farofa no cinema, um rápido lero com a Dona Cida ao telefone, Zanzibar pirando na Argentina, Mandela is dead, e meu coração é dela, três anos, três anos.

ROCK NA ROÇA

O que me empolga numa cidade ananias são as pessoas. A trutagem é o céu da roça, que resiste ao peso dos dias. Caminhar, caminhar n...