quinta-feira, março 27, 2014

NOTAS SOBRE OS CAMPEONATOS ESTADUAIS EM 2014

Sou tricolor do Morumbi. 


Não vou vir com blá blá nem com chororô pela eliminação. 



Também não vou falar que o Paulista atualmente é uma mera caixa registradora pra federação.



Um campeonato que na velha prosa dos experientes era louvado e reverenciado. Fanatismo, tradição e richas, curtição e jogaço não estão sendo respeitados. Grandes atletas e craques do passado recentemente falaram sobre a tristeza e a decadência lá no Rio, por exemplo, onde ganhar uma Taça Guanabara equivale a comprar um cd de banda cover do Van Halen.



Mas voltando: a Federação Paulista de Futebol joga umas moedas da lama, migalhas miséria pros clubes pequenos e cria um regulamento estúpido pra ganhar com cotas de patrocínio e o diabo, em rodadas engana-trouxa que não valem nada e subestimam o torcedor.



Os clássicos viraram jogos pra servir de matinê dublada pra verdadeiras pinturas como o último Real e Barça e os clubes do interior e sua torcida estão sendo engolidos pela farsa do "pogre$$u".



E o valor dos ingressos? Deixa pra lá. 



A taxa de conveniência é o cambismo do rock, e o com 50 reais pra assistir um jogo da série A a Teresinha fez um churrascão lascado de bão, lá no Mãe Preta.



Nem vou falar também novamente do Campeonato Carioca, que apesar dos pesares possuía um sistema de disputa com um regulamento que prometia até que alguma emoção ao torcedor - e que nesse ano tem o incrível critério de desempate (o time de melhor campanha joga por dois empates na fase final, mas não por dois resultados iguais, ou seja perdeu uma e ganhou outra pelo mesmo saldo.



Enfim, são várias considerações - nenhum clube paulista na Libertadores - você sabe quantas vezes por minuto o técnico do Santos, Oswaldo de Oliveira pisca os olhos, enquanto fala de modo sonolento e engraçado?



Mas quanto ao Paulista, isso ia acontecer, uma hora ou outra, assim como a eliminação precoce do Curinthia. 



Ainda que nenhum clube foi rebaixado fazendo boa campanha, tamanha aberração da "fórmula" do paulista.



Mas foda-se: viva a Penapolense, que jogou com o coração - e que coração! do velho Narciso treinador jogando junto. E a Penapolense levou a melhor e assim é a vida.



E viva a Copa Nordeste, a torcida do Santa Cruz, a torcida do Glasgow Rangers que coloca 45 mil loucos mesmo jogando um campeonato que poderia também ser chamado de WO.



E um grande salve aos times hermanos "sem tradição" na Libertadores que lutam com garra, que honram o futebol com a arte do espírito e da disposição física sem falcatruas.



MOMENTOS ANTES DA ELIMINAÇÃO



e hoje, no finalzinho do jogo do tricolor, com o gol que o Ademílson perdeu dentro da área, mandando a bola lá na Polinésia, lembrei-me daquele fatídico jogo em que, última vez que estive no Morumbi, vi o mesmo garoto perder uma série de gols também, para depois o Atlético Mineiro virar o placar e vir a ser campeão da Libertadores posteriormente, pela primeira vez.



Mas naquele dia foi culpa do Lúcio, expulso como um moleque tonto. Foda-se o Lúcio quando jogou no São Paulo.



E a molecada do Santos vai deitar e rolar, com Geuvânio regendo, Gabriel de calcanhares e gols, Cícero no piloto, Arouca na contenção e o Damião (o filho do Bigode, que o fez seguir em frente num momento crucial do início da carreira) fazendo os gols do título.



O Parmera vem que vem, também.



Vamos ver no que vai dar.



O Roberto Rosbife vai de Ituano.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

OUVINDO HARDCORE E LENDO ESCRITORES BRASILEIROS E DO TIO SAM

As pessoas estão sem coragem.  As pessoas brincam verbalmente nas redes sociais perpetuando o lado cômodo da vida.  Já é uma bela bos...