sábado, setembro 13, 2014

CONSIDERAÇÕES


Onze bocas pra criar. Vários, vários litros de leite. Líquido capaz de preencher a Espanha por três décadas. Onze destinos malucos que poderiam gerar um timão de futebol. Como esse jogaço de agora pouco.


O Arsenal jogava em casa, perdia por um a zero. Tensão, torcida jogando junto, a cada lance a vibração. Até que o empate veio da maneira mais rollingstoniana garage 60 possível, drible e "cavadinha", 1X1 e depois tudo numa subida frenética, fôlego ogro e o golaço na sequência, virada do Arsenal, dentro da área Alexis Sánchez pega do alto de prima, perna direita - no ângulo esquerdo de Joe Hart, uma pintura, o estádio veio abaixo!



Só que aos "82" veio o empate do Manchester City. Futebol, límpido gramado e o teatro vivo, sangue escorrendo, gritos punk rockers ecoando pela cidade.


***



Feijão.



Às vezes o feijão pode fazer mal. No dia seguinte os sintomas incluem: tontura, tortura mental calafriante, ímpeto de acesso ao cagódromo mais próximo. É isso aí. Contingências de merda.



E depois tá tudo certo.



***





Uma boa companhia. Leituras em horários propícios, concentração sem muito esforço e o corpo relaxado. Água gelada e bolacha água-e-sal. A vida tem muque.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ROCK NA ROÇA

O que me empolga numa cidade ananias são as pessoas. A trutagem é o céu da roça, que resiste ao peso dos dias. Caminhar, caminhar n...