quarta-feira, setembro 24, 2014

FONITO, O DOGUINHO MALUCO



Rompe a manhã na roça. E veja: o cachorrinho Fonito está sorrindo, há calma na proposta.


Nada de "bad trip secreta" enredada em fatos tontos, nem porra nenhuma inventada na língua de pequenos idiotas.


Só existe o doguinho feliz fazendo arf arf depois de um sprint formidável, e olha ele lá, de alma Ramones, abanando o rabinho.

Você conversa numa nice com ele, o Fanito é tranquilão. E serelepe a ferinha solta histórias indizíveis, contos que não cabem dentro de uma máquina, porque doguinho free é doguinho longe de frescura.

Já vejo o doguinho voando sereno entre brincadeiras estilão quermesse selvagem, mas sem farpas e duelos - a essência do doguinho é sagrada e nós vamos agora curtir o vento. Chegou: fim de tarde em ventania suprema, vive o vento em alta velocidade aqui na roça.


E ele tem nome: Bódegas. 


O vento Bódegas derrubou até uma mobilete em ação em plena Rua 3, que cena.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OUVINDO HARDCORE E LENDO ESCRITORES BRASILEIROS E DO TIO SAM

As pessoas estão sem coragem.  As pessoas brincam verbalmente nas redes sociais perpetuando o lado cômodo da vida.  Já é uma bela bos...