sexta-feira, abril 24, 2015

Viver é viver.

Viver o amor é viver.

Viver é violência na esquina, buscar a paz e receber de graça a espingarda - dor e veneno, um tiro de laser com gelatina verde matou a pombinha branca bem na cabeça, infelizmente.

É difícil e também é fácil viver, os imbecis dizem que viver é 8 ou 80.

Dizer, transmitir, tudo tão tonto, um troço na privada e um orador carente cuspindo bosta no ouvido do rebanho.

Esqueça que você é idiota e viva sem culpa, Artur.

Os amigos de verdade são bem poucos.

A música é a telepatia dançante, não se esqueça.

Vamos viver e produzir um monte de ações firmeza antes de falar por falar, Renato Chopin.

Valeu.

sexta-feira, abril 17, 2015

Todo mundo atrás do tal equilíbrio.

Porra, como assim "todo mundo"?

Todo mundo é o rebanho inteiro. Equilíbrio é daqueles prendedores sem charme, conceito besta banheiro morto, desmonta mais fácil que o fusquinha 73 do Edgar, que virou a esquina era aquele desenho ontem que virou lápis na aula de Funções dos Testículos.

Bom é o desequilíbrio das artérias, vielas mortas sujas levantando e derrubando cada soco, obscuras palavras invadindo a rua nua e crua tão tortas que não vivem antes de morrer que elas são desequilibradas assim que somem que perdidas como se fossem o próprio penico nanico seu pé e você agora tropeça à beça, desespertas elas são velhas artérias que vão defecando amebas distribuindo sêmen na porta do abismo, caramba,caiu, se foi, fonfom.

segunda-feira, abril 06, 2015

Iron Maiden - Phantom Of The Opera







Phantom of the Opera!



Essa pedrada produz um dos finais mais fuzilantes que você merece.



Escrever que é épico é pouco.



Mexe malucóide com sentido sentimento.



Alavanca o ânimo, ruge alto aquela raiva empolgante, aquela escalada aos estados do esquecimento desse mundo objetivo tão ordinário.



Abobalhada, a alma transpira em ogra gratidão.



E, aos poucos, o espírito é tomado da brutal loucura que nos transforma numa bomba adolescente sem fim a voar eternamente em câmera lenta, enfim.



ps: dedicado aos irmãos Hebert Nascimento e Lazaro Lopes e todos os outros seguidores da donzela de ferro, especialmente em seus primeiros e destruidores discos.

OUVINDO HARDCORE E LENDO ESCRITORES BRASILEIROS E DO TIO SAM

As pessoas estão sem coragem.  As pessoas brincam verbalmente nas redes sociais perpetuando o lado cômodo da vida.  Já é uma bela bos...