terça-feira, junho 30, 2015

O CASÃO E O BRENFA



O Casão não pirava em pessoas postiças.

Dizia adeus à palavra cena muito dantes dela derrapar, o Casão.

O Casão chamava o brenfa na praça. Casão em jeans camisa preta fudida e o brenfa, é - e ele  sorria no modo easy, todo lentonia, mão no borso puro fumacê microondas vetores foliando do cabelão cheio de ideias interessantes.

O Casão chamava o brenfa nas ruas de Rivers.

Brincava cinema iraniano na muda contemplação proto tontóide sentadão na esquina, aleatória esquina do mundo randômico, meia luz. A brisa era mais seresta assim, rústico sambinha aquece fim de ano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OUVINDO HARDCORE E LENDO ESCRITORES BRASILEIROS E DO TIO SAM

As pessoas estão sem coragem.  As pessoas brincam verbalmente nas redes sociais perpetuando o lado cômodo da vida.  Já é uma bela bos...