sexta-feira, março 11, 2016

NUNO LEAL MAIA CORRE PERIGO



Depois de pensar na mancada do Nuno, Solange busca um copo de cachaça. Vai até o Big Bar. 

- Oi... eu quero uma dose de caninha da roça.

Ela é atendida com rapidez, três da tarde e a sexta-feira corre não-dodoí, embora cheia de ressentimento.

- Mais uma.

Como esquecer o Nuno Leal Maia? Complicado. Solange vai fundo, o balcão é seu brother:

- Outra.

Agora, a biqueira. Sô vai atrás de uma rocha, só pra descontrair.

A primeira paulada é demoníaca, no mocó perto da Avenida Humilde. 

Solange pensa em vingança, Solange está bruxona, seu sangue tem gostinho de violência. Pensa em pegar o cano, pensa em pipoco - mas primeiro tem que ir até Piracicaba, catar o busão.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OUVINDO HARDCORE E LENDO ESCRITORES BRASILEIROS E DO TIO SAM

As pessoas estão sem coragem.  As pessoas brincam verbalmente nas redes sociais perpetuando o lado cômodo da vida.  Já é uma bela bos...